Como Fazer Uma Precificação Adequada

Se sua empresa deseja manter uma competitividade no mercado, é fundamental que a precificação dos seus produtos ou serviços estejam na média do ofertado ao público pelas demais empresas.

Uma boa precificação é fundamental para que sua empresa mantenha uma longevidade, sendo que sem lucros e boas estratégias tanto de marketing como de finanças, sua empresa não terá um futuro prometedor.

Antes de continuar pense, como você precifica seus produtos? Tem alguma metodologia para fazer isso? Ou somente faz estimados? Sabe quais são seus custos e despesas? Sabe qual é seu ponto de equilíbrio?

Vamos descobrir o mundo da precificação

1. O que é Precificação

Antes de tudo, deve ter claro que o cálculo do preço de um produto é um processo, sendo assim, conformados por vários passos. Este cálculo precisa de análise, monitoramento e correção. A precificação é vital para a saúde do seu negócio.

Precificação é o ato de definir um valor quantificável para venda de produtos ou serviços. Desta forma, compreende estabelecer quanto o cliente deve pagar para obter o item ou atividade que você oferece.

Obviamente, o preço não é um elemento fixo, já que é influenciado por diversos componentes do micro e microambiente.

Suponha que você vende salgados de presunto e queijo, mas, depois de um mês de atividade o preço do queijo que utiliza, aumenta em um 20%, para manter o lucro você deve de analisar se tem que aumentar o preço e caso sim, quanto aumentara.

Sendo assim, seu produto e sua empresa está sujeito a diversos fatores externo, como:

– Demanda

– Economia

– Salário de funcionários

– Fornecedores

Deste modo, a precificação é a maneira pelo qual você conseguirá obter lucro, ao final de cada mês e fazer com que seu negócio cresça.

Para elaborar o cálculo da precificação de um produto deve-se entender e mensurar todas as variáveis que estão diretamente ou indiretamente ligadas ao produto ou serviço em questão. E a partir disso, chegar a um valor que arcará com todos esses custos mensuradas e ainda gerará um lucro ao final da venda, ou seja, o Preço de Venda.

No dicionário, precificação significa “o ato de determinar um preço”, mas seu sentido é muito mais complexo no mundo dos negócios.

precificação

2. Porque deveria implementa-la na sua empresa

A precificação é um dos pilares que sustentam qualquer negócio.

Assim, existem diversas ferramentas que podem auxilia-lo. Uma delas é a teoria clássica dos 4Ps do marketing, que determina os fatores-chave para o sucesso da empresa no mercado:

Produto: pense nos diferenciais e benefícios dos seus produtos e serviços

Preço: precificação coerente com os custos, valor agregado, padrões de mercado e percepção de valor do consumidor

Praça: ponto de venda com boa localização e processos de distribuição eficientes

Promoção: são estratégias de comunicação e divulgação para atingir o público-alvo certo.

Esses são os ingredientes essenciais para uma empresa bem-sucedida, e claro que o preço é um dos mais importantes para o equilíbrio financeiro.

Se você simplesmente estipular um valor por intuição ou comparação com os concorrentes, poderá ter sérios problemas financeiros e acabar em uma situação insustentável.

Por isso, o momento de definir preços exige atenção máxima e conhecimento de conceitos como margem de lucro, valor agregado, despesas e custos, por exemplo.

E como mencionado anteriormente, além de formar os preços de venda iniciais, você também terá que acompanhar o desempenho do negócio e alterar os valores conforme for necessário.

precificação

3. Como fazer

Tendo claro o que é precificação e a importância dela, é importante que você saiba como elaborar uma boa precificação. No entanto, deve ter claro diferentes assuntos antes.

O primeiro que deve considerar é que cada caso é um caso, os mercados são diferentes para cada produto, desde o preço até os clientes.

Mas fique tranquilo, há algumas ações comuns recomendadas na hora de definir o preço.

1. Diferença entre custo e despesa

O erro que muitos donos e donas de empresas cometem é que não tem bem definidos os custos e despesas, mais preocupante ainda, pensam que eles são a mesma coisa.

a)      Custos

São os gastos da empresa com o produto final e estão ligados à aquisição ou à produção de mercadorias.

Basicamente, estão totalmente ligados com a finalidade da empresa. Entretanto, estes são dividido em custos fixos e variáveis.

Custos fixos: aquele que se mantém estável. Por mais que o volume de produção de uma indústria varie, por exemplo, ele continuará tendo o mesmo valor. Apresentam pouca ou muita variação.

Alguns exemplos deles são;

– Aluguel

– Serviços de segurança

– Manutenção de equipamentos.

Custos variáveis: muda e se altera conforme as atividades da empresa. Ele vai variar de acordo com a produção ou prestação de serviços da organização.

Como exemplo do anterior, podemos dizer que, se houver um crescimento nas vendas durante aquele período específico, os custos variáveis também vão aumentar.

Alguns exemplos:

– Energia elétrica e água – caso sua produção dependa disso

– Horas extras pagas a funcionários

– Matéria prima

b) Despesas: São todos os gastos relacionados à administração da empresa, como as áreas de comercial, marketing, financeira e entre outras. De forma clara, são todas as saídas necessários para manter a companhia funcionando adequadamente, porém, não contribuem diretamente para a geração de novos itens que serão comercializados.

Assim como os custos, as despesas também são divididas em fixas e variáveis.

Despesas fixas: não dependem do volume de vendas e produção, sendo gastos estáveis e previsíveis.

Alguns exemplos:

– Impostos fixos

– Folha de pagamento de colaboradores

– Seguros

Despesas variáveis: Contrastando com as anteriores, variam de acordo com a produção e as vendas, criando a necessidade de um cálculo recorrente.

– Comissão de vendas

– Reembolso de despesas corporativas

– Fretes e gastos com entregas

2. Estude o mercado

Entender como o mercado funciona a respeito de determinado produto, tanto da oferta – a concorrência – e a demanda – os consumidores – ajuda por uma parte saber o preço médio dos produtos e por outra forma, ajuda a entender o que exatamente os consumidores estão procurando, quais necessidades ou desejos eles precisam satisfazer. Desta maneira saberá se seu negócio é viável ou não.

Mas fique calmo, se essa parte é complicada para você por questões técnicas ou de tempo, a Adecon trabalha realizando estudos de mercado. Nos quais descobrimos e elaboramos as melhores opções e

Tendo claro o anterior, é hora de saber como elaborar uma precificação adequada.

Defina margem de lucro

Esta parte fica totalmente a sua disposição, já que, não existe uma margem de lucro ideal para qualquer tipo de produto ou serviço.

Pode ser 1%, 5%, 10%, 50%, 100% ou mais.

Qualquer uma delas pode ser aplicada, dependendo de diversos fatores que já foram abordados anteriormente.

Todavia, é preciso definir quanto se pretende ganhar para manter as contas no azul.

3. Calculando a precificação

Leve em consideração elementos operacionais e o valor intangível daquilo que você vende.

A fórmula mais comum utilizada para tal é a seguinte:

Preço de venda = Custos variáveis / 1 – (Margem de contribuição + despesas variáveis / 100 )

Ao aplicá-la, você será capaz de definir o seu preço de venda.

Entretanto existem muitas mais formas de realizar o cálculo de precificação, a continuação os enumeramos.

4. Precificação usando o fator mark-up

O mark-up é a análise dos custos de produção, distribuição, comercialização e divulgação do produto para aplicação de uma taxa padrão do custo do produto ao consumidor final.

Ou seja, uma avaliação fria dos valores investidos somados à margem de lucro desejada.

Precificação por concorrência

No caso da precificação por concorrência, há uma análise dos preços praticados por outros players do mesmo segmento no mercado.

5. Precificação por Margem de Contribuição

A margem de contribuição é um indicador fundamental para a precificação.

Ela nos informa se a receita da empresa é suficiente para pagar os custos e as despesas fixas e ainda deixar uma margem de lucratividade.

Como foi possível notar, para fazer a precificação de um produto, devem ser entendidos diversos temas teóricos, entender o mercado tanto como a concorrência e aos clientes.

Por fim, se você ficou com alguma dúvida em respeito a este tema ou algum outro, pode entrar em contacto conosco, através do InstagramE-mail e Facebook. Na Adecon já desenvolvemos diversos estudos de mercado, ajudamos a diversos negócios a impulsar-se no mercado

precificação